quanto tempo dura efeito lsd no corpo

Você sabe por quanto tempo dura o efeito do LSD no corpo?

LSD

Saber por quanto tempo dura o efeito do LSD no corpo é, no mínimo, essencial caso queira embarcar nessa experiência. A substância sintética tem ação pesada no organismo, bastando alguns miligramas para causar uma viagem que pode apresentar sintomas até meses depois do uso.

Entenda mais sobre o flashback em Bateu a bad trip? Veja como cortar o efeito do LSD.

Dito isso, como ocorre com a maioria das drogas existentes, o tempo de permanência do LSD no organismo irá depender da quantidade ingerida pelo usuário. Lembrando também que, embora exista um padrão de reação, cada corpo funciona de forma distinta. Portanto, não há uma regra.

Quanto tempo dura o efeito do LSD no corpo

Como citado, o efeito do LSD no corpo pode variar. Em casos mais leves, a onda dura de 30 a 60 minutos. Em casos mais fortes, pode chegar de 24 a 48 horas. No entanto, em dosagem moderada, o mais comum é um efeito com média de 12 horas de duração.

Isso falando de efeito. Quando o barato passa, o entorpecente ainda deixa rastros no organismo, podendo ser encontrado até três dias depois do uso na urina. Nesse mesmo período, a substância também pode ser detectada no cabelo.

O LSD no sangue, contudo, é identificado em até 3 horas após seu uso. No entanto, o tempo de detecção varia de acordo com o material utilizado em testes toxicológicos, os quais podem influenciar os resultados.

No geral, depois de consumir a droga, o corpo fica completamente limpo dela em três dias. Contando que a pessoa não ingira mais nesse intervalo de tempo. 

Os efeitos do LSD

Os experimentos realizados com a droga, monitoraram seu efeito no corpo, os quais indicaram aumento da atividade neural e a criação de conexões entre partes distintas do cérebro. Como consequência, pode haver diversas alterações na percepção, iniciadas cerca de uma hora depois da ingestão do LSD, podendo durar até 12 horas.

Dentre os efeitos mais comuns são estão listados:

Efeitos físicos

  • Insônia
  • Desidratação
  • Dilatação das pupilas
  • Tontura
  • Ausência de apetite
  • Aumento ou redução dos batimentos cardíacos e da pressão arterial

Efeitos psicológicos

  • Alucinações
  • Confusão mental
  • Euforia
  • Ataques de pânico e ansiedade
  • Perda da noção de espaço
  • Dissociação do corpo e da realidade

A droga também é tida como uma substância enteógena, ou seja, ela provoca alteração na consciência, fazendo com que o usuário tenha experiência de teor espiritual.

A origem do LSD

Tudo começou em 1938, com o suíço Albert Hoffman. O cientista sintetizou pela primeira vez o LSD, desenvolvido através do ácido lisérgico presente no fundo claviceps purpúrea.

No entanto, seu objetivo tinha uma finalidade nobre. Hoffman buscava uma substância para fins terapêuticos. Entretanto, por causa dos efeitos de uso, ela passou a ser usada como alucinógeno recreativo. 

Hoffman foi a própria cobaia de seu experimento. No dia 19 de abril de 1943, o cientista ingeriu 0,25 miligramas da droga e voltou para casa de bicicleta. Menos de meia hora depois, ele já sofria dos efeitos do LSD, experimentado profundas mudanças em seu estado. 

Ansiedade, paranoia e felicidade foram alguns dos efeitos sentidos por ele. Dentro da comunidade psicodélica, esse evento ficou conhecido como “Dia da Bicicleta”, no qual é celebrado a data da descoberta do LSD.

A repercussão da droga pelo mundo

Albert Hoffman investiu em sua descoberta e a apresentou para o mundo. Dessa forma, a o LSD chegou ao mercado em 1947 sob o nome de “Delysid”, um medicamento destinado ao uso psiquiátrico. 

Nos anos 1950, a droga gerou centenas de teses no meio científico, algumas dezenas de livros e conferências internacionais. A substância chegou a ser prescrita como tratamento para mais de 40 mil pacientes, pois se mostrou efetiva no combate ao alcoolismo e desenvolvimento da criatividade em diversos artistas.

A substância chegou a ser vendida livremente em farmácias, como medicamento para ansiedade e psicose.

A festa acabou e meados dos anos 1960, quando os Estados Unidos retiraram o LSD de comercialização e declarou a ilegalidade do uso sob da droga de qualquer forma. Ao longo do tempo, outros países seguiram os mesmos passos.

Existe vício em LSD?

O mais curioso na questão sobre o vício em LSD é que até hoje não há relatos a respeito de dependência química da substância. Assim como, apesar do seu forte efeito mesmo em pequena quantidade, e suas consequências no organismo, até hoje não se tem notícia de mortes decorrentes de overdose de LSD.

Embora tenha sido criminalizado na maior parte dos países do mundo, vários cientistas continuam estudando o potencial do LSD, como forma de manipulá-lo para fins medicinais. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *