como e feita a cocaina

Como é Feito o Processo de Fabricação da Cocaína? Saiba Tudo

Cocaína

A cocaína é uma droga ilícita extraída da folha da coca, uma planta bastante comum na região do Andes, principalmente na parte do Peru e Bolívia. A população indígena sempre usou a folha, mascando pedaços no dia a dia ou utilizando em rituais, chás e medicamentos naturais. 

A cocaína é uma droga semi sintética, categorizada como estimulante em relação aos efeitos provocados no sistema nervoso central (SNC). O processo de fabricação da planta da coca no entorpecente conhecido como cocaína, consiste em apenas duas fases.

Na primeira parte, as folhas da planta são maceradas junto com ácido sulfúrico. Na falta deste, a gasolina costuma ser usada para substituí-lo. O resultado gera uma pasta chamada de extrato da cocaína.

Em seguida, na segunda e última parte, esse extrato é misturado com ácido clorídrico, o qual forma o famoso pó branco, tão característico do entorpecente.

No entanto, a quantidade gerada a partir do processo normalmente é pouca, por isso, boa parte dos fabricantes misturam na droga outros elementos, a fim de fazer a receita render. 

Assim, a versão mais encontrada no mercado ilegal é combinada com talco, areia fina, amido de milho, açúcar e até com outras drogas, como anfetaminas e anestésicos.

Dependendo da maneira como ela é produzida, o resultado pode derivar uma pedra de crack, consumida através do fumo, normalmente utilizando o cachimbo.

A evolução da cocaína no cenário social

A cocaína foi lançada ao mundo a partir da invasão espanhola às Américas, no século XVI. Algumas centenas de século mais tarde, mais precisamente em 1862, o químico alemão, Albert Neiman, conseguiu isolar o princípio ativo da planta, colocando o nome de cocaína.

Com isso, a partir do século XIX, a cocaína passou a ser consumida na Europa como uma espécie de energético, sendo mais indicado aos tratamentos de depressão, fadiga, neurastenia e até mesmo no auxílio à dependência de derivados do ópio.

Dessa forma, a droga passou a ser comercializada de várias maneiras diferentes, como em farmácias e sob forma de medicação. Ela chegou até mesmo ser vendida como vinho e refrigerante, sendo encontrada nos bares. 

A consequência veio no formato de artigo, publicado em 1895 pela revista The Lancet, a qual contava com seis relatos de mortes decorrentes da cocaína. Para se ter ideia, até 1906, a fórmula da Coca-Cola era praticamente um xarope, com a presença de cocaína na receita. E ela não era o único refrigerante a conter a droga como ingrediente.

Contudo, preocupados com o risco do vício, os fabricantes da bebida decidiram substituir a cocaína por cafeína na composição dos refrigerantes. Foi apenas em 1914 que o uso da substância foi declarado ilegal, sendo totalmente proibido. Então, ela sumiu por alguns anos, retornando a partir da década de 1960, se tornando cada vez mais presente até os dias de hoje.

Como a cocaína é feita

A droga é originária da planta Erythroxylum, popularmente conhecida como Coca, nativa da Bolívia e Peru. Para chegar até o resultado como é conhecido, a substância passa por um processo de fabricação.

São apenas duas fases. O primeiro passo é extrair do alcalóide, no qual as folhas são prensadas em ácido sulfúrico, gasolina ou querosene. Em seguida, é usado ácido clorídrico para formar o pó branco. Este, por sua vez, pode ser aspirado pela narina ou mesmo diluído na água para ser injetada direto na veia. Outro meio é fazer uma pasta, a qual pode ser fumada em cachimbos. 

Dependendo da maneira como ela é produzida, o resultado pode derivar uma pedra de crack, consumida através do fumo, normalmente utilizando o cachimbo.

A cocaína pura resulta em uma quantidade pequena, por isso, boa parte dos fabricantes misturam na droga outros elementos, a fim de fazer a receita render. Assim, a versão mais encontrada no mercado ilegal é combinada com talco, areia fina, amido de milho, açúcar e até com outros entorpecentes, como anfetaminas e anestésicos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *